Tags

, , , , , ,

DSC07372

Durante o ano de 2012 eu fiz um post falando sobre a minha decisão de fazer a faculdade de Jornalismo (se você quiser ler clique aqui). Mas agora eu resolvi falar um pouco sobre o curso e o que eu sei sobre a profissão.

Desde que eu entrei na faculdade descobri várias coisas sobre a profissão, tirei algumas dúvidas, outras novas surgiram, mas a ideia que eu tinha sobre Jornalismo, ou melhor, Comunicação Social, mudou um pouco.

Muitas pessoas entram na faculdade de Jornalismo porque gostam de escrever. Ótimo, realmente o grande foco da profissão é esse, mas existem outros ramos e eu vou falar um pouquinho para vocês.

Na minha faculdade o curso de Jornalismo e Publicidade e Propaganda começam juntos, sendo a turma de Comunicação Social. Nós estudamos juntos até o final do 4º semestre e a partir de então, as turmas se dividem. Sendo assim, aprendemos muitas coisas que eu não achava que iria aprender cursando Jornalismo.

Nos primeiros semestres tivemos aula de Produção. Uma matéria onde aprendemos a produzir (dããã). Aprendemos todas as etapas que rolam antes de fazermos um vídeo ou um documentário, por exemplo. Tem a pré-produção, ontem fazemos os roteiros e storyboard, se necessário, verificamos os locais da gravação, previsão do tempo, câmeras, luzes, microfones e afins. Aí tem a parte legal, a gravação. De todas, deve ser uma das partes mais fáceis, caso se tenha feito tudo direitinho na primeira etapa. E enfim a pós produção, que é a edição de todo o material. As vezes uma das etapas mais demoradas. Pois tem que cortar e arrumar todas as cenas, encaixas as trilhas, arrumar os efeitos, e pronto, seu vídeo está pronto. Essa foi uma as únicas matérias práticas que tivemos em todo o primeiro ano. E eu nunca imaginei que teria que aprender a fazer todas essas coisas. Por exemplo, em uma das aulas meu professor mandou eu fazer um storyboard do nosso vídeo, e eu não sei desenhar. Imaginem o sufoco para arrumar tudo? E com isso eu descobri, que passar as coisas da sua cabeça para o papel é mais difícil do que parece.

Nós também tivemos aulas de photoshop e illustrator, que foram as outras aulas “práticas”. O resto é completamente teórico. E se engana quem pensa que a nossa faculdade é fácil, porque no final do semestre, quase metade da sala (ou até mais) acaba pegando exame.

Outra surpresa que eu tive, foi quando olhei meu horário do 3º semestre que começa agora, e descobri que vou ter aula de Gestão e Empreendedorismo Em Comunicação. Eu achava estranho quando um colega dizia que tinha aula de Economia no Curso de Publicidade dele. Mas conversando com meu pai, percebi que temos que aprender isso também, caso um dia, algum de nós resolva abrir sua própria empresa, certo? Engana-se quem pensa que na faculdade de Jornalismo nós só escrevemos, e na aula de Publicidade só tem criação de Propagandas (não vou entrar muito no assunto de PP, porque se não eu perco o foco).

O que eu quero dizer é: no Jornalismo não há só empregos para redatores. Nós também precisamos de produtores, de fotógrafos e dos apresentadores de jornal, por exemplo. As vezes você não curte escrever, mas sabe editar muito bem. Ótimo, você pode conseguir um emprego em algum Jornal na TV. Ou por exemplo, você gosta muito de diagramação, sabe mexer com o illustrator super bem. Você pode conseguir um emprego em uma revista como diagramador ou responsável pelo Designer. Além de tudo isso, você ainda pode ser professor. É, você pode fazer um mestrado/doutorado e ingressar na vida acadêmica, caso você goste disso.

Cheguei a uma parte do texto em que eu preciso ser sincera, que é o salário. Sobre isso, os Jornalistas formados não mentem. O salário é ruim, sim! É claro que há casos e casos, mas a maioria dos Jornalistas trabalham muito e recebem pouco. Trabalham muito porque nossa profissão não tem feriado, nem férias (dependendo do veículo em que você trabalha, como eu trabalho em uma Empresa comum, eu tenho férias e feriados prolongados, haha), pois mesmo no feriados as coisas continuam acontecendo e você sempre terá notícias. Por exemplo, eu estava de férias do serviço, mas como eu escrevo para um site de música, todo dia eu tinha pauta lá no meu e-mail. Mas existe uma solução para o salário ruim: você não precisa trabalhar em um lugar só. Você pode trabalhar em um jornal de manhã, e em uma revista a tarde, e em outra revista a noite, por exemplo. E também podem fazer como eu que escrevo para um site direto da minha casa.

Mas o ponto alto da profissão e que apaga toda essa desvantagem é o amor que eu tenho e a experiência que eu recebo. Sendo jornalista você pode conhecer pessoas e lugares diferentes. Você pode ir a shows, festivais, peças e eventos super legais. E mesmo indo a trabalho, você acaba se divertindo bastante. É tudo muito gratificante, e para mim, que amo conhecer coisas novas, é muito emocionante.

Mas a minha dica é: você quer ser rico? Não faça Jornalismo, porque não é isso que você vai conseguir. Faça Jornalismo porque você ama a profissão, porque você ama a Comunicação e acredita que podemos fazer a diferença. E cuidado, nós jornalistas podemos fazer você crescer, como podemos te destruir em segundos. Esse é o poder da palavra!

Escolham brilhar,

Andressa

Anúncios